há quem odeie as poesias de amor
até somente a poesia
mas é minha forma de compor
restou correr atrás das palavras
já que não posso voltar
no exato momento em que te vi
pela primeira vez
através da retina gelatinosa
dos meus olhos míopes
astigmáticos
lembro bem:
ruído de vidraça quebrando
o gps da cabeça perdendo o sentido da rota
no teu corpo fiz chegada
destino cruzado
sílabas e sílabas e tantos blas
no labiritinto das tuas terras
em mistérios me achei
perdida me encontrei
tentando assentar razões
onde pudesse construir um jardim
em que não se suspendam
os sonhos da jardineira.

Anúncios
Padrão

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s